Operação prende comerciantes e clientes da DarkNet

Um homem sem nome de 24 anos foi preso na Espanha por lidar com armas na Deep Web. Sua prisão veio como resultado de uma operação combinada por forças policiais em toda a Europa em esforços em andamento para fechar o negócio de armas na Deep Web.

De acordo com relatos, o homem sem nome usou o mercado da Deep Web, agora extinto, AlphaBay para enviar dezenas de armas para toda a Europa e até mesmo para os Estados Unidos.

O jovem de Pamplona, Espanha, não tinha qualificações ou nenhuma experiência comercial e conseguiu acessar os mercados da Deep Web por suas próprias habilidades. Ele compraria armas fabricadas, que ele então venderia com um grande lucro.

Ele vendeu seus itens para compradores no Reino Unido, Espanha, Alemanha, Ásia e Estados Unidos, aceitando pagamentos apenas em bitcoin, popular moeda virtual online.
Um enorme arsenal foi descoberto quando a polícia invadiu sua casa. Os oficiais apreenderam cerca de 22 armas de fogo, numerosas armas artesanais, um quilo de pólvora e mais de 1.500 € em dinheiro.

Algumas das armas estavam a caminho do Reino Unido, onde foram apreendidas, e também na Alemanha, onde um homem atirou em si mesmo no mesmo dia em que ele obteve as armas.

Ele tinha um apartamento em Barcelona, do qual viajava de sua cidade natal para fazer negócios e também tinha uma oficina de fabricação de armas localizada e construída em uma garagem pertencente a um dos seus vizinhos.

Outros relatórios revelaram que, as armas foram obtidas de uma base na Eslováquia, o mesmo local que forneceu as armas usadas nos ataques de Paris em 2015, um ataque orquestrado por um grupo militante do Estado islâmico envolvendo tiroteios e explosões de bombas, que deixaram 130 pessoas mortas e feridas com mais de 100 pessoas em estado crítico.

Também se acredita que o jovem negociante de armas espanhol viveu uma vida agradável e invejável incluindo um iate que ele manteve em uma marina em Barcelona.

Esta invasão surge como um dos maiores golpes a nível internacional no que diz respeito ao tráfico de armas e de drogas, na Deep Web. Também é parte da operação RUGER, que rendeu muitos resultados positivos.
A investigação começou em Março, envolvendo a Alemanha, Reino Unido, Estados Unidos e Europol e tem sido bem sucedida até o momento.
Desde a sua detenção, a Interpol prendeu mais de cinco pessoas, algumas das quais tem histórico de assassinato.

Essa ultima apreensão veio depois que as autoridades da polícia espanhola revelaram que mais de 20% das armas de fogo apreendidas nos últimos anos foram usadas em guerras.

No começo deste ano, em janeiro, a polícia espanhola que envolveu policiais antiterroristas de Madri, Bilbao, Valência e Gerona, com a ajuda da Interpol, apreendeu mais de 10 mil dessas armas, incluindo metralhadoras antiaéreas, rifles de assalto e granadas, de locais em Bizcay, Girona e Cantabria. As armas tinham valor estimado em cerca de £ 9 milhões.

A Europol, após a apreensão, afirmou que as armas de fogo foram vendidas na França, na Bélgica e na Espanha.
Afirmaram que algumas das armas foram desativadas, mas não cumpriram os padrões estabelecidos e os criminosos obtiveram as armas de fogo principalmente através de leilões e outros meios legais, antes de reativá-las.

A polícia espanhola depois tuitou uma foto do acontecido, dizendo: “Estas são as 12 mil armas, algumas capazes de derrubar aeronaves, interceptadas pelo crime organizado. Seu preço: € 10 milhões (£ 8,8 milhões) no mercado negro”.

 

Continuaram dizendo que as armas teriam uma entrada fácil no mercado negro e nas mãos de terroristas e muitos grupos de crime organizado.

A Europol também afirmou que os traficantes de armas de fogo exploram lacunas legais e diferenças legislativas entre os países da UE na tentativa de desviar armas de fornecedores legais.

O tráfico de armas ilegais através da Deep Web acabou se tornando desenfreado, com isso cada vez mais mais prisões ocorrem, sendo mais de 10 neste ano. Com alguns meses ainda restantes, o número deve aumentar.

Um novo estudo da Rand Corporation Europe e Manchester University descobriu que mais de 52 fornecedores diferentes têm armas, munições e explosivos à venda na Deep Web.

O estudo acrescentou ainda que as vendas na Deep Web podem ser muito lucrativas, com os criminosos que muitas vezes procuram ter acesso as armas da maneira que puderem, o que torna mais fácil devido ao software especial necessário para acessar esta parte profunda da internet.

Os pesquisadores descobriram que armas de fogo ilegais e suas relações estavam movendo mais de 136 vendas por mês, gerando mais de US $ 80.000.

Ahhhh :(

Nosso site tem anúncios que ajudam a manter o serviço online e a informação disponível para todos.

Por favor, se possível, desative o AdBlock enquanto estiver aqui com a gente, ok? <3

Muito obrigado!

AdBlock detectado!

Ahhhh :(

Nosso site tem anúncios que ajudam a manter o serviço online e a informação disponível para todos.

Por favor, se possível, desative o AdBlock enquanto estiver aqui com a gente, ok? <3

Muito obrigado!